quinta-feira, maio 24, 2007

Murdochville

Muitas pessoas já devem ter visto ou, no mínimo, ouvido falar de cidades fantasma. Cidades sem nem uma viva alma circulando pelas ruas. Quem já viu filmes ambientados no Velho Oeste deve saber do que eu estou falando.

Creio não ser o único a ver a "fantasmização" das cidades como um processo rápido. A impressão que se tem é que uma cidade é "viva" ou "morta"; não-fantasma hoje e fantasma amanhã, ao raiar do sol. Pois bem... Existe o meio termo. Como o sistema que são, essas cidades travam uma batalha agonizante para sobreviver. Bem vindos à Murdochville.

Estive em Murdochville em julho de 2003. Trata-se de uma cidade na península da Gaspésie (Quebec; leste do Canadá) que foi fundada numa época em que o cobre brotava da terra aos montes e a mineração estava em seu auge. Essa região do Canadá é muito rica nesse metal. Porém, nos anos 90, o cobre começou a ficar escasso. Para encontrá-lo, era preciso cavar mais fundo e isso custava cada vez mais caro aos cofres da cidade, que chegou a ter cerca de 5000 hab. Nessa década, várias casas de fundição de cobre foram fechadas, culminando com o abandono da mina, que hoje serve de atração turística. Trezentos trabalhadors chegaram a ser demitidos em um único dia e a população começou a cair. Os que ficaram, continuaram os esforços para diversificar a economia local e atrair investidores do ramo químico, já que a cidade possui um amplo parque industrial com uma boa infra-estrutura herdada da atividade mineradora.

Quando da minha visita, passei por ruas totalmente desertas, postos de gasolinas cujas bombas estavam secas, cobertas por um plástico grosso e opaco pela poeira, carros abandonados e duas ou três pessoas que passeavam com o cachorro ou tomavam sol em frente à casa. Muitas placas anunciavam imóveis à venda por preços ínfimos. O centro esportivo e o cinema, que chegaram a ser o orgulho da cidade estavam fechados por tempo indeterminado. Finalmente, o que mais me impressionou, numa rua mais comercial, foram as pinturas que, literalmente, povoavam todas as fachadas. Tomando café num restaurante, conversando em uma esquina ou olhando uma vitrine, os desenhos retratando pessoas em seu dia-a-dia tentavam dar mais vida a uma Murdochville moribunda.

Hoje, a cidade de mais de 50 anos tem como símbolo a energia eólica e 850 habitantes que lutam por sua continuidade. Desejo a eles sucesso...

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket murdochville
Localização na Península da Gaspésie
Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket murdochville
Mapa da cidade
Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket murdochville
Cidade vista do alto
Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket mina_murdochville
Vista aérea da mina
Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket mina_murdochville
Mina de cobre ociosa
Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket mina_murdochville
Minerador de cobre ocioso
Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket
Minerador de primeira viagem
Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket mina_murdochville
Antes da descida, no centro de processamento do cobre
Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket Caminhão gigante
...E ninguém para trocar o pneu?!
Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket clone-do-borat
Um dos rostos pintados na cidade que me chamou a atenção; cruzamento de Seu Madruga com Saddam Hussein (eu jamais mencionei que os rostos pintados eram amigáveis!).

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...